Nas encruzilhadas de Becos da memória, de Conceição Evaristo, e Texaco, de Patrick Chamoiseau: A diáspora negra entre remoção, deambulação e resistência


Abstract


No esteio dos estudos pós-coloniais e culturais, em que se inscrevem as narrativas de sujeitos deslocados pela violência e precariedade herdadas dos dispositivos de podersaber coloniais, colocam-se em questão os modos de viver e narrar da diáspora africana, disseminada pela escravidão transatlântica. Não raramente, a produção cultural dessa diáspora reescreve, de uma perspectiva afro-identificada, experiências de remoção e despejo vividas por sujeitos que, excluídos dos benefícios do nacional e dos direitos à cidade, são levados a resistir ou a deambular pelas periferias das cidades contemporâneas. Os romances Becos da memória, da escritora brasileira Conceição Evaristo (2013), e Texaco, do escritor martinicano Patrick Chamoiseau (1992), ficcionalizam processos de remoção urbana na segunda metade do século XX e podem, em cotejo, através de crítica comparatista e interdisciplinar, produzir cartografias muito vívidas de nossos espaços urbanos e suas fortes heranças coloniais, que ainda exigem de nossas sociedades um esforço grande na direção de sua superação.

Keywords: Crítica pós-colonial; Literatura afro-brasileira; Diáspora africana; Remoção forçada; Literatura comparada

Full Text: PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribuzione - Non commerciale - Non opere derivate 3.0 Italia License.